Oi pessoal, tudo bem com vocês?

Hoje viemos dar mais uma dica de como ser sustentável. 

Mas, antes de falar sobre sustentabilidade, gostaríamos de perguntar pra vocês, quem aí sabe por que suamos? 

A resposta é simples. Nosso organismo faz diversas reações químicas para manter a  temperatura entre 36 e 37°C e, caso ela aumente (pode ser por atividades físicas, calor do ambiente, excesso de roupa, entre outros fatores), haverá a eliminação de suor através de nossas glândulas sudoríparas, reduzindo localmente a temperatura e mantendo o equilíbrio.

Algumas pessoas suam mais e outras parecem nem suar. Isso pode estar relacionado à quantidade de glândulas sudoríparas que a pessoa tem no corpo, a algum problema no sistema nervoso ou a outras condições clínicas. Tem mais uma coisa que queremos contar pra vocês: o suor não tem odor! O que faz a gente sentir aquele cheiro desagradável são as bactérias e fungos que podem haver nas axilas, que por serem locais mais úmidos e abafados,  constituem um ambiente perfeito para proliferação desses microrganismos. Vale ressaltar que se o seu suor é excessivo, ou você se sente muito incomodado com o cheiro, seria interessante procurar algum profissional da área de dermatologia e conversar sobre isso.

Lembramos que a produção de suor, também conhecida como transpiração, é natural e necessária e, por isso, não é interessante usar antitranspirantes todos os dias ou várias ao dia, já que as substâncias químicas presentes neles impedem essa sudorese e a “respiração” do local. Não estamos aqui para fazer com que vocês abram mão do seu antitranspirante da noite pro dia, e sim para mostrar alternativas com menos componentes químicos  que causam menos impactos no meio ambiente.

E quais são os impactos no meio ambiente?

O primeiro impacto é causado  pela embalagem, principalmente as de aerossol, que muitas vezes são descartadas como lixo comum ou como metal reciclável, quando deveriam ser encaminhadas para cooperativas específicas que tratam esse material da forma adequada. O segundo tem a ver com a maneira que o aerossol funciona. Basicamente, as latas contêm uma substância conhecida como propelente , que é um gás no estado líquido  que passa pro estado gasoso quando a válvula do aerossol é aberta, expelindo o conteúdo da lata. Até o fim da década de 1980, os propelentes mais comuns eram os clorofluorcarbonos, também conhecidos como CFCs, que eram extremamente danosos à camada de ozônio. 

A partir dos anos 1990, com a proibição dos CFCs, vêm sendo utilizados outros propelentes como propano e butano, que são hidrocarbonetos voláteis, ou seja, causam menos impactos ambientais ainda que não sejam totalmente sustentáveis.

Alternativas sustentáveis…

Uma alternativa são os desodorantes naturais e caseiros, livres de produtos químicos, que podem ser prejudiciais a sua saúde e ao meio ambiente. Existem na internet diversas receitas caseiras, e deixaremos dois links do YouTube ali nas fontes utilizadas, com ingredientes mais saudáveis e que geram menos lixo.

Como falamos acima, a ideia não é que vocês  larguem o seu antitranspirante da noite pro dia, e sim fazer com que repensem algumas práticas e incluam outras no seu dia a dia. Por exemplo, por que não usar um desodorante caseiro em dias que você ficará em casa? Ou então, usá-lo para dormir, deixando as suas axilas respirarem. 

São pequenas mudanças, pequenas adaptações, que ao longo dos anos podem gerar uma diminuição nos seus impactos causados no meio ambiente.

 Confere os links com as receitas e, se der vontade de experimentar alguma delas, conta pra gente o que achou e se a mudança valeu a pena.

Abraços e até a próxima dica!

Autora: Caroline Figueiredo, bióloga e educadora ambiental

Fontes:

https://saude.abril.com.br/bem-estar/desodorante-aerossol-faz-mal-ao-meio-ambiente/
https://www.ecycle.com.br/161-latas-de-aerossol
https:// www.youtube.com/watch?v=ua-r4EJwK00

Receitas de Desodorante Caseiro:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *